Nossos

Afonso Tostes

De 25 Jul a 30 Ago 2008

Nossos teve seu início a partir de desenhos que Afonso Tostes fez de pessoas próximas a ele, "algo intimo". "Faço desenhos há muito tempo, mas estava absorvido com as esculturas", diz. Entretanto, mesmo em sua atividade como escultor, o desenho esteve sempre presente, nos projetos que antecediam a realização da obra. Para ele, esses desenhos eram também "íntimos", já que não os expunha.  

"O desenho/pintura então ganhou uma inesperada autonomia, passei a desenhar diretamente na lona com o tubo da tinta", explica. Outro material usado por Afonso no suporte de lona foi o lápis. Ele ressalta que este trabalho é "muito direto": "Quando começo, vou até o fim, e é muito desgastante fisicamente". Ao perseguir o desenho ideal, os resíduos do lápis e da tinta ficam como manchas, e o quadro "vai ganhando densidade com os erros". O trabalho, para ele, "está na fronteira do desenho com a pintura".

A linha é elemento fundamental nesse trabalho, com uma carga expressiva contundente, e, para o artista, ela aqui se assemelha ao traço usado nas tatuagens. Definindo apenas contornos, Afonso elimina a "pessoalidade e identidade" das figuras, integrando-as à atmosfera do quadro. "O resultado fica a cargo do observador, que dará sua contribuição criativa do espectador com a sua interpretação pessoal".

Afonso Tostes usou a fotografia como base dos desenhos, e lembra que esta é a primeira vez em que usa a figura de maneira tão clara.